Berlim é Pet Friendly

Eu e Nini temos sorte! Até agora, as cidades por onde passamos, tem  nos recebido muito bem! Nunca tivemos grandes problemas em nossas viagens de avião, nos aeroportos e apartamentos que moramos! Mas Berlim é, entre todas, a cidade mais pet friendly  que já conheci. A expressão pet friendly vem do inglês e traduzida para o português fica algo mais ou menos assim “amigos dos animais de estimação”. A expressão é usada para indicar locais e estabelecimentos onde nossos pets são bem vindos.

Berlim Pet Friendly 1
No rolê pelo bairro de Kreuzberg, em Berlim, pausa para a foto! Nini: -Mãe, desce daí!

Em Berlim, praticamente todas as lojas, farmácias, bancos, shoppings, galerias, e até muitos restaurantes deixam a Nini entrar, sem nem precisar pedir; ou quando eu peço, eles respondem com um “Sim, claro!” como se dissesse, óbvio que pode!! Gostam tanto de cachorro, que alguns  locais deixam um potinho com água na porta para cachorro beber. A Nini adora ‘roubar’ água dos lugares.

Berlim Pet Friendly 2
Nini faz questão de parar para beber aguá em praticamente todos os potinhos que cruzam o nosso caminho!

 

Berlim Pet Friendly 3
Muitos estabelecimentos em Berlim deixam potinhos com água na porta para os dogs.

Berlim está passando por uma onda “Vegan” e “Biológica”. Desde lojas de roupas, sapatos, lojas de cosméticos, mercados e feiras; todos aderiram ao movimento e encontramos  produtos  naturais e veganos em cada esquina. Além de pet friendly, em algumas lojas de roupa é possível ler nas etiquetas das peças “eco friendly”; outra expressão  do inglês e quer dizer “amigos do meio ambiente” São produtos que se preocupam com o nosso planeta em todos os passos de sua produção e comercialização. E os pet shops não ficaram de fora e já tem linha de  produtos biológicos e até veganos para nossos cães.

Berlim Pet Friendly 4
Produtos biológicos e veganos para em loja de produtos para animais de estimação.

Próximo à onde moro tem um parque  chamado Volkspark, é onde costumo levar a Nini para dar uns roles. Em nosso caminho para o parque, passamos em frente à um lojinha de coisas pra cachorro e um belo dia, a dona  Nini; sozinha, com as próprias patas, entrou na loja, deu um passeio pela loja e escolheu um biscoitinho biológico. hehe

Berlim Pet Friendly 5
Nini escolhendo seu biscotinho na loja de produtos biológicos para animais de estimação.
Berlim Pet Friendly 6
Brincando no Volkspark!

Viajar de trem com cachorro dentro da Alemanha também é descomplicado. No transporte coletivo, dentro da cidade de Berlim: trens, metrôs e ônibus, animais de estimação também são permitidos. Todos pet friendly! Focinheira é obrigatório, mas até os alemães ‘dão um jeitinho’ pra algumas coisas em se tratando de cachorros e muita gente circula com seus cães pelos trens sem a focinheira, inclusive eu! hehe. Em caso de cachorros mais ranzinzas ou agressivos, o dono precisa ter esse cuidado!

Berlim Pet Friendly 6
Nini adora andar de transporte coletivo. Na foto, a gente no Tram (VLT) de Berlim.

 

Berlim Pet Friendly 7
Meu mostrinho favorito no Mauer Parque.

 

DSCN3006
Beijos e até o próximo rolê!
Continue Reading

Viajando com seu Cachorro

Nini em Barcelona, Espanha

Antes de começar a falar desta,que talvez esteja sendo uma das maiores experiencias da minha vida, que é viajar com a minha melhor amiga, minha vira-lata Nini, vou contar um pouco da história dela pra vocês!

O nome que demos a ela quando a adotamos foi Menina, que acabou virando Nini. Como ela foi achada na rua, não conheci seus pais, mas acredito que, ou a mãe ou o pai dela sejam da raça Border Collie, porque ela tem algumas características de Collie, como a ponta do rabo branca,parecendo um pincel sujo de tinta! Mas essa herança genética não faz da Nini menos vira-lata. Muito pelo contrario, Nini tem pedigree de vira-lata. Ela é daquelas que fuça e come lixo, bebe agua da poça e da risadinha. Mas a especialidade dela é cagar nos lugares mais inusitados, como em porta de restaurante ou  loja chique! Gente, uma vez a Nini parou pra cagar no meio da faixa de pedestre, atravessando a avenida.rs

A Giani  Cardoso, que hoje é a Dinda da Nini achou ela no bairro da Pompéia, na cidade de Santos, em pleno carnaval. Dia 01 de março de 2013. A Giani postou no facebook e uma amiga em comum, Julia Bobrow, que já sabia do meu interesse em uma adoção me marcou no post! A Nini preenchia todos os requisitos do dog que eu queria adotar: femea, já mais crescidinha e vira-lata.  Mal vi a foto da Nini fui busca-lá. Cheguei ao edifício e ela estava no petshop; uma vizinha tinha presenteado ela com banho e ração. Ahhh, detalhe, ela se chamava Cindy. A Dinda Giani deu esse nome quando achou. Gente, quando eu cheguei no petshop eu olhei pra ela e achei ela feia (ô dó) Mas é verdade, pq se você reparar bem ela é toda erradinha. Uma orelha levanta e a outra não, as patas tem cores diferentes e as das frente são meio tortas e pra completar, nesse dia que conheci Nini, ela tava enfeitada com bindis na cara e colar de carnaval…haha
Bom, hoje a Nini tem mais que um lar, ela tem mãe, pai, dinda e até passaporte da União Européia tá meu bem?

 

Viajando com Seu Cachorro 1
Dia que adotamos a Nini

 

Viajando com Seu Cachorro 2
Passaporte da Nini

Viajando com seu Cachorro

Pode ser até clichê, mas uma das filosofias da minha vida é : “Quem quer faz, quem não quer arruma desculpa”. Viajar com cachorro não é a coisa mais fácil do mundo mas está longe de ser impossível.

Tudo que você vai precisar é se programar com antecedência e se informar mto bem quais são as regras do País de destino.Mas mesmo as regras mudando, existe o abecedário, o básico que todos que viajam pela primeira vez para o exterior terão que aprender e fazer. Ahh, vai ter despesas e o valor também depende de cada pais.

Ter um veterinário de confiança e disposto a te ajudar vai facilitar sua vida. O Dr. Renato Saibum, veterinário da Nini foi quem me auxiliou  em nossa primeira viagem internacional. Eu e Nini viajamos pela primeira vez de São Paulo à Barcelona, Espanha.

Viajando com Seu Cachorro 3 - Certificado de Microchipagem
Certificado de microchipagem

O primeiro passo é colocar o micro chip no seu pet e fazer o certificado de microchipagem (foto) feito isso, o próximo passo é fazer o exame de “titulação de anticorpos neutralizantes para raiva”. Esse exame precisa ser feito com bastante antecedência da data de embarque do animal.Porem, uma vez feito, esse exame valerá para as viagens futuras.

Com o microchip e  o exame de  “neutralizante da raia”  encaminhado (esse exame leva pelo menos 3 meses para sair o resultado)  você já pode comprar a jaula de transporte que tem que atender as exigências: o seu bichinho tem que conseguir ficar em pé dentro da jaula e dar uma volta 360º.

Viajando com Seu Cachorro 5
Exame de Neutralizantes Para Raiva

 

Com as informações da jaula (medidas e peso), você entra em contato com a companhia aérea escolhida por você para avisar o transporte do animal e solicitar uma reserva no bagageiro do mesmo voo que  o seu. Eu já viajei pela Singapura Airlines e KLM Airlines com a Nini e sei que essas aceitam, mas acredito que algumas companhias aéreas não façam transporte de carga viva. Verifique essa informação antes de comprar o bilhete.

Com tudo isso resolvido você volta no seu VET e ele emite o ‘Cerificado  de Saúde’ que tem validade de 3 dias . Com esse certificado, mais o certificado de microchipagem, carteira de vacinação em dia e  exame neutralizante da  raiva você vai a VIGIAGRO da sua cidade para a emissão do CZI (ou CVI). Esse certificado é a cartada final para a autorização da viagem do seu pet. Estando todos os outros documentos em ordem o CZI é emitido e tem validade de até uma semana para vocês viajarem. Qualquer duvida, pode me perguntar  que será um prazer ajudar!

Para mais informações, vocês podem clicar aqui!

 

Nini no role

Viajando com Seu Cachorro 6
Clifton Beach, Cape Town, Africa do Sul

 

Viajando com Seu Cachorro 7
Hout Bay,Cape Town, Africa do Sul

 

Viajando com Seu Cachorro 8
Livre, leve e solta pelas ruas de Barcelona

 

Viajando com Seu Cachorro 9
Nini está aprendendo a conviver com outras espécies.

 

 

Continue Reading