About my summer in CapeTown

Verão em Cape Town 1

CAPE TOWN, THE  MOTHER CITY

Cape Town é conhecida como Cidade Mãe, e ela é uma mãe mesmo, porque ela ensina! Cape Town me deu muita coisa; me proporcionou encontros e momentos inesquecíveis; mas não me “alisou” não. Como tudo e todos, Cape Town  tem seu lado positivo e o negativo: a desigualdade social, a separação racial, a pobreza nas ruas, a diferença de costumes.

Mas com tudo isso Cape Town ainda é uma cidade alegre, divertida e easy going. As pessoas são simpáticas, comunicativas e curiosas. Sempre perguntam de onde somos, porque estamos ali, por quanto tempo vamos ficar. Uma vez  uma menina de 8 anos veio brincar com a Nini e começou a fazer milhões de perguntas, parecia que estava me entrevistando.

O verão em Cape Town é maravilhoso pois a cidade tem praias paradisíacas e pedras que parecem escultura. Qualquer canto de praia renderia uma foto de capa de revista. Uma cidade cosmopolita, internacional. Dá pra escutar vários idiomas quando andamos pelas ruas, experimentar comida de outros países feita por imigrantes de lá. A imigração de Países ao redor da Africa do Sul é grande em Cape Town. Muita gente de Botswana, Tanzania, Moçambique, Lesoto entre outros. É a cidade mais desenvolvida e com melhor qualidade de vida do Continente Africano. É  a cidade da Table Mountain, da Lions Head e da Twelve Apostles (essa última me rendeu uma trilha maravilhosa e um post que você pode ler aqui). A cidade que me acolheu como uma Mãe!

Cape Town abriu minha cabeça e meu coração, deixou meu mundo maior . Me ensinou, me deu amigos e me mostrou novos caminhos. Obrigada Cape Town, me senti em casa!

Fotos Max Kalmoz (Austria)

 

Verão em Cape Town 2

   “I  always wanted to leave my country and go somewhere else”

 

Verão em Cape Town 3

“To  love  CapeTown,  you  must  learn  to  love  the  wind”

Verão em Cape Town 4

“Slow down, you are in Cape Town”

 

Verão em Cape Town 5

“Cape Town, easy to live hard to leave “

 

Continue Reading

Afrika Burn – A estrada e o Camping

Afrika Burn 1

Quando volto a escrever sobre o Afrika Burn, imagino aquela estrada de 150 km de terra e pedras. O Deserto de Tankwa é de formação de pedras, parece até asfalto. Quando a gente fala deserto pensa logo no de areia né? Mas esse é pedra, terra e poeira , muita poeira! Desde o nosso ponto de partida, a cidade de Capetown, foram 500 km de carro até chegar ao Burn. 350 km de estrada de asfalto e 150km de estrada de terra…e pedra.

Afrika Burn 2

E a estrada do deserto gosta de comer pneu!! Perdemos um pneu na ida e outro na volta. Teve gente que chegou a perder 4 pneus !Mas a palavra de ordem no Burn é ‘No Panic’, ou seja, relaxa que algo vai acontecer para que tudo dê certo! No caminho tem borracharia! Não se preocupe em relação a isso; mas viaje enquanto ainda está claro,com o pneu step do carro em dia e aprenda a trocar pneu. rs

Afrika Burn 3
Há algumas borracharias no caminho.

 

Afrika Burn 4
As borracharias tem cafeteria, banheiro e lounge. E eu fiquei sensualizando no lounge da borracharia enquanto os meninos cuidavam de  consertar o pneu.rs

Há varias maneiras de chegar ao Burn. Uma é ir em  um carro particular  ou alugado. Melhor que seja um  4×4. Tem gente que vai em carro normal mesmo. Não tem regra! Nós estávamos em um  4×4 e perdemos 2 pneus. A outra maneira é ir de ônibus: eles saem de Capetown. Todas essas informações de transporte coletivo e até mesmo tentar pegar uma carona, podem ser conseguidas no Facebook: Aqui é a página oficial do evento! Entre março e abril, que é quando os Burns começam  a se organizar para o festival. Também dá pra ir de avião. Tem aeroporto praticamente dentro do Burn para aviões de pequeno porte.

Afrika Burn 5
Aeroporto Internacional de Tankwa.

 

Afrika Burn 6
Chegar no Burn é como cruzar um portal mágico, que te leva para um mundo encantado!

 

Afrika Burn 7
O Burn é um lugar tão bonito, que dá até pra ver o Planeta Terra de lá!

Acampando no Afrika Burn

Há duas maneiras de acampar no AfrikaBurn: uma é  ir por nossa própria conta e  risco e levar tudo tudo que  iremos precisar e  a outra é fazer parte de um Theme Camp. Theme Camp é um camping maior, compartilhado com mais pessoas e alguns  já frequentam o festival a alguns anos. Esses Camps estão equipados com tendas grandes com lounges, cozinha de acampamento e banho com bolsa de plástico, onde deixamos a água esquentando no sol durante o dia, pra tomar banho quente a noite. Mesmo indo nesse esquema de Theme Camp,nossos equipamentos de uso pessoal como barraca, colchão, cobertor, travesseiro, a gente mesmo tem que levar.

Afrika Burn 8
Minha família Burn no lounge do nosso Theme Camp “Fractal Chill Ethiopian Coffe House”

 

Afrika Burn 9
Banho em tenda com bolsa de plástico.

Mas para você fazer parte de um Theme  Camp, você precisa colaborar com as  tarefas do dia a dia  lá dentro  e também  nas horas que se abrem  as portas para  “dar presentes a comunidade”. Quando eu estava lendo sobre o Afrika Burn, li algumas  vezes sobre “presentear a comunidade”, mas só depois fui entender o que isso significava. A comunidade sou eu,é você, todos nós que estamos ali fazemos parte da comunidade Burn. O Afrika Burn é um evento feito pela comunidade para a comunidade.

Afrika Burn 10
Colaborando com o café da manhã no camping. Minha especialidade era guacamole, fiz tanto que me apelidaram de “Mama Guacamole”.hehehe Pode?

 

Afrika Burn 11
Pia para lavar louça.Cada um que  cuide da sua louça suja, ou então, leve a sua mãe. Eu li isso em um cartaz  lá no Burn e achei o máximo.

 

Através de um amigo,  fomos parar no Theme Camp “Fractal Chill Ethiopian Coffee House”. O Camp era formado por  20 pessoas lindas, que foram a minha família durante esses 7  dias no deserto. Em nosso Camp  ‘presenteávamos  a comunidade’ com café da Ethiopia e Tchai. O Camp do nosso vizinho trouxe bicicletas , o camp da frente oferecia banho quente. Tinha o Camp  “Burning mail”, que oferecia o serviço de enviar um postal do Burn pra quem vc quiser, em qualquer lugar do planeta. Tinha o Camp que oferecia sessões de cinema e um outro que oferecia chicotas, sério! Tenho  foto pra provar.

Afrika Burn 12
Galera colaborando com a manutenção, organização e funcionamento do nosso camping.

 

AfrikaBurn 13
Theme Camp que presenteava com chicotadas.rs

 

AfrikaBurn 14
O Theme Camp “Pedals For Peace” (Pedais para a Paz) faz um trabalho social. Eles vendem bicicletas através do site, antes do festival. Quem quiser compra a bicicleta, a equipe do Pedals For Peace  se encarrega de levar a bike até o Burn pra você. Você usa e depois eles doam para comunidades carentes.

Mas não são apenas os Theme Camps que presenteiam a comunidade. Cada um colabora como puder e quiser.Um dia estava eu caminhado pelo Afrika Burn e me deparo com um jantar servido em uma mesa no meio do deserto com direito a champagne, pães, queijos e tudo mais! Tem os Veículos Mutantes também, que presenteiam com boa musica por onde passam e por onde param.

AfrikaBurn 15
Jantar ao  entardecer no deserto.

 

AfrikaBurn 16
Veículo Mutante: Trem com cabine de DJ e lounges em seus vagões; ofereciam boa música e descanso para a comunidade Burn.

E essa foi a energia que os ventos do deserto sopraram nessa semana mágica de aniversário no Afrika Burn. Encarar a estrada dura, dormir em um mini colchão inflável dentro de uma barraca; com um frio de quase zero grau; não é a tarefa mais fácil do mundo, mas o  Burn é uma experiência mágica, transcendental. Quem ainda  não conhece o Burn, deveria pensar seriamente em conhecer!

Tem mais posts do Burn vindo ai!E me fala uma coisa!  Vocês estão gostando? Já conheciam o Burn? Alguém já foi ou tá com vontade de ir? Deixe seu comentário! Vou gostar de ler sua opinião!

Continue Reading

Cor de Rosa Choque!

 

É cor de Rosa Choque 1

   “She was free in her wildness.

She was a wanderess,a drop of free water.

She belonged to no man and no city”

É cor de Rosa Choque 1

 

É cor de Rosa Choque 3

 “She was never crazy!

She just didn’t want her heart

to settle in a cage”

É cor de Rosa Choque 4

 

É cor de Rosa Choque 5

 

IMG_9232dd

“Por isso não provoque, é cor de rosa choque”

Para ver mais ensaios aqui no blog, dá uma olhada aqui

Continue Reading

Afrika Burn X 2016

Já  faz alguns dias que estou  tentando escrever o que foi o Afrika Burn X. Foram tantos encontros, sonhos, tanto aprendizado, tanta luz, energia,troca, desapego que eu nem sei por onde começar. Explicar o Burn é tentar explicar o inexplicável. O Burn é algo pra ser vivido, experimentado. Vá e veja com os seus próprios olhos e  parece que lá, as pessoas conseguem enxergar com os olhos do coração.

Afrika Burn X 1
“O essencial é invisível aos olhos” do livro O Pequeno Príncipe.

Pensa em  um lugar onde dinheiro não entra. Onde  tudo funciona na base do dar e receber, servir e ser servido. Um lugar onde as pessoas falam  com estranhos  e  aceitam doce de quem não conhecem. Onde os veículos são mutantes  e os tapetes voadores. Lá, nesse planeta chamado Burn você é constantemente incentivado a  expressar a si mesmo, a ser você mesmo. Um lugar mágico, o mundo fantástico, onde tudo é colorido e divertido. As pessoas ali andam sem medo, sem frescura , sem vergonha e sem roupa.

Afrika Burn X 2
Galera pegando carona do tapete voador.

 

Afrika Burn X 3
Mulherada linda dando no Burn….dando sorvete!

 

Afrika Burn X 3
Eliara, minha paixãozinha durante o Burn, me maquiando. Fiz varias fotos lindas dela!

 

O que é o Afrika Burn?

É um festival de arte, que acontece uma vez por ano (de 27 de abril à 1ºde maio) no deserto Tankwa, Africa do Sul, onde as gigantescas esculturas e instalações de arte são queimadas ao final.Lá a boa música não para. A cidade Burn não dorme,são 24 horas por dia durante os 5 dias de festival.O Burn é um festival democrático.Tem pra todos os gostos, idades e generos. Tem criança, jovem, adulto, gente mais velha, tem de tudo e essa mistura e diferença é que faz o Burn  ser tão encantador!

Afrika Burn X 4
Afrika Burn, um festival de arte interativa para todos.

 

Afrika Burn X 6
A obra de arte “O Clã” sendo preparada para pegar fogo.

 

Afrika Burn X 7
“O Clã” pegando fogo.

Mas, vai muito além de um festival de arte: o AfrikaBurn é um movimento, ou melhor, um anti movimento, uma   comunidade que vem crescendo a cada ano. O primeiro foi em 2006 e teve um publico de 600 pessoas. Esse ano de 2016 foi a décima edição, por isso foi chamado de AfrikaBurn X e teve um publico de aproximadamente 10.000 pessoas.

AfrikaBurn 8
Burn, um lugar para você trabalhar todos os sentidos. Um mundo encantado cheio de cores,sons, formas, volumes, temperaturas e alma. Muita alma.

 

AfrikaBurn 9
O simbolo do Afrika Burn representa o Clã, a união, a ideia de que somos todos um.

 

O festival é organizado pela  comunidade para a comunidade. O Burn sou eu, é você, nós construímos os Camps, a arte e os veículos, nós somos a performance e a audiência. Não existe ‘eles’. Existe apenas nós e todos nós estamos juntos nessa. O Burn não tem patrocinadores, não tem propaganda de produtos,marcas ou serviço e o mais legal de tudo, na minha opinião, é que  não circula dinheiro lá dentro: lá nada é vendido. Ou seja, tudo o que você  for consumir durante a sua estadia no deserto, deverá ser levado por você , assim como deverá ser trazido de volta também por você, principalmente o seu lixo. Falando em lixo, lá também não tem  cestos de lixos públicos pelas “ruas” e nem por isso as ruas estão sujas. Muito pelo contrario, não se vê lixo no chão, nem bituca de cigarro. Não tem hotel no meio do deserto, então a sua casa será a sua tenda. Seu colchão, seu travesseiro, cobertor, tudo, absolutamente tudo que você  for precisar  será organizado e levado por você, inclusive a sua água.

 

AfrikaBurn 10
Fiz parte do Camp Fractal Ethiopian Coffe House, que presenteava a comunidade com café e tchai (vou falar sobre os ‘presentes’ para a comunidade em outro post)

 

AfrikaBurn 11
Minha casinha durante uma semana no deserto de Tankwa.Gosto dessas aventuras porque me faz  notar como precisamos de pouco para viver e ser feliz. Levei pouca coisa e ainda assim, não precisei de tudo que  levei.

Quando eu e Paulo decidimos finalmente ir ao Burn já estávamos atrasados, faltava apenas 2 semanas e nem convite a gente tinha, mas mesmo assim decidimos encarar o desafio. Primeiro passo comprar o ingresso. Eles são vendidos  pelo site oficial do evento e custam 1.200 Rands(moeda local da Africa do Sul) aproximadamente 300 reais. Mas como  já estava em cima da hora não conseguimos comprar pelo site. Restava tentar comprar de alguém que não iria mais e estava vendendo pela pagina oficial do evento no facebook. E  foi o que eu fiz, levei uns dias pra que tudo desse certo. Com o ingresso na mão começamos com os  preparativos…

Gente, tenho muuuita historia pra contar!! Vou dividir em postagens pra ficar mais leve a leitura! Então, no próximos posts vou continuar falando desse mundo encantado chamado Burn! Mas só pra vcs terem um gostinho do que vem por ai:

AfrikaBurn 12
150 km de estrada de terra e um pneu furado.

 

AfrikaBurn 13
Ver pessoas nuas no Burn é natural. Alias, ver pessoas nuas é natural. Não consigo entender esse  grande tabu que é a nudez! O ser humano se distanciou tanto da sua essência que se choca como o natural e já não se assusta com o anti natural.

 

AfrikaBurn 14
O ritual ao redor do fogo

 

AfrikaBurn 15
Minha paixãozinha Eliara e as crianças no Burn vão ter um capitulo todos especial para elas. Seres que espalham luz.

 

AfrikaBurn 16
Dia 29 de abril,dia do meu aniversário e o Universo, além de me presentear com o Burn, me deu essa festa linda e outrs boas  surpresas nesse dia tão especial. Gratidão eterna Afrika Burn X 2016.

 

 

 

 

 

 

Continue Reading